Especial COVID: Seu filho fica o tempo todo querendo celular, vídeo game ou computador?

Atualizado: Mai 5

Descubra agora o que você pode fazer durante a pandemia!


Muitos pais e mães nos relatam que seus filhos ficam mais agressivos ou intolerantes quando ficam muito tempo em frente às telas, em especial quando são retirados. Você já percebeu isto no seu filho?



Não é de hoje que sabemos que longos períodos de exposição a mídias interativas (jogos de vídeo game, redes sociais, YouTube, Smartphone, etc) podem produzir efeitos negativos em diversos aspectos da vida das crianças. Problemas de sono, piora no desempenho escolar e comportamentos impulsivos são os mais comuns.


A quarentena causada pela COVID-19 tem deixado muitos pais (incluindo o que vos escreve) preocupados se estamos oferecendo o melhor para seus filhos em casa ou não. Todo bom pai ou mãe faz esta pergunta diariamente (ou deveria se fazer) mas neste momento parece que a coisa se amplificou.


A questão que nos vem à tona é: quanto tempo devo deixar meu filho no computador, vídeo game ou smartphone?

Resposta: não existe resposta certa! Sabemos que longos períodos em frente a telas tem o potencial de gerar diversos prejuízos, mas seria muita pretensão dizer o quanto é o certo. Mas podemos ampliar esta questão:


Como medir saber se o uso está saudável? Responda a estas perguntas:


  • Meu filho deixa muitas obrigações em aberto para ficar na frente da tela (smartphone, computador, vídeo game, etc)?

  • Parece agir diferente depois que ficou muito tempo na frente da tela?

  • Fica isolado muito tempo enquanto está na frente da tela?

  • Tem preferido ficar em frente à tela ao invés de fazer atividades em família ou que exigem interação com outras pessoas (brincar, jogo de tabuleiro, desenhar)?

  • Acorda à noite para ir para frente da tela ?


Se você respondeu SIM para ao menos três itens fique em alerta! Pode ser que sua relação com a tecnologia venha acarretar problemas mais sérios.



Algumas ações práticas:


Não existem fórmulas mágicas, e já lhe digo que não é tarefa fácil. Mas algumas ações suas podem ajudar (e muito) a melhorar este problema.

  1. Conheça o que seu filho está buscando e querendo tanto: Se é um jogo, peça para que lhe explique como funciona e porque é tão atraente. Se é um vídeo ou canal do youtube, assista com ele e busque entender o que é tão atraente.

  2. Tenha em mente que sua disputa não é com seu filho, mas sim pela atenção dele: Os jogos de vídeo game, redes sociais e tantas outras mídias são programadas para prender a atenção. Se você entender melhor o que tanto atrai seu filho, terá maior poder sobre quem é seu oponente.

  3. Não peça simplesmente para seu filho sair do vídeo game, mas para se engajar em outra coisa: Já percebeu que quando você pede para ele sair ele tende a relutar ou fazer mil voltas? Isto acontece porque sua orientação não está completa! Uma forma que pode ajudar muito é: fulano, desliga o computador e vem aqui assistir um desenho junto comigo... ou então: desligue o jogo e venha comer pois a comida está pronta!

  4. Estabeleça uma hora para começar e outra para terminar de usar a mídia: Neste ponto, o importante é ter um acordo mútuo, pois depende de quanto seu filho já está ou não acostumado a ficar no vídeo game. Por exemplo. Tente ir reduzindo aos poucos retirando a cada dia 15 ou 30 minutos até que fique algo saudável.


Aqui em Porto Alegre criamos em 2019 o Amatec – Ambulatório de Adições Tecnológicas justamente por termos percebido um grande aumento de problemas relacionados ao uso excessivo de tecnologias.


Se você tem alguma pergunta entre em contato conosco que iremos responder com maior prazer.


Trend Nova Carlos Gomes

Torre Offices conjunto 1913

Av. Sen. Tarso Dutra, 565

Petrópolis | Porto Alegre | RS

CEP 90690-140

  • Psicologia Facebook
  • Psicologia YouTube
  • Psicologia Instagram

© 2020 Londero & Zogbi Serviços de Psicologia Ltda | CNPJ 32.185.520/0001-02

psicologos porto alegre .png